Apresentação contou grandes sucessos da música clássica e canções

como “Segredos”, “Por Você” e “Codinome Beija-flor”

O maestro João Carlos Martins e sua Bachiana Filarmônica SESI-SP se uniram com Frejat para um lindo concerto no Teatro Bradesco. Contando com um repertório que trouxe desde grandes sucessos da música clássica, como “Nessun Dorma”, interpretada pelo tenor Jean William, até sucessos na voz de Frejat como “Segredos”, “Por Você”, “Túnel do Tempo”, “Amor Pra Recomeçar” e “Codinome Beija-flor”.

“É sempre uma honra e um prazer imenso poder participar de um concerto ao lado de um grande artista da nossa música brasileira. Admiro muito o Frejat e o seu trabalho. A ideia de mesclar um repertório clássico com músicas já conhecidas do público é algo que acho fundamental para a democratização da música clássica, que é o meu objetivo e que espero deixar de legado para este nosso Brasil”, conta João Carlos Martins.

O concerto tanto para João Carlos quanto para Frejat foi a prova de que a música clássica e o rock combinam sim!

Maestro João Carlos Martins

O maestro João Carlos Martins se eleva a um patamar raramente alcançado por outros músicos brasileiros no século XX. Considerado um dos maiores intérpretes de Johann Sebastian Bach, teve como um dos pontos altos de sua carreira a gravação da obra completa para teclado deste gênio da música. Logo após, devido a problemas físicos, teve que abandonar a carreira de pianista, canalizando para a regência sua paixão pela música.

Bachiana Filarmônica SESI SP

A qualidade dos músicos da Bachiana Filarmônica, selecionados entre as melhores orquestras brasileiras, tem sido elogiada pelo mundo afora. São profissionais que fazem questão de aprimorar seu talento com trabalho e estudo. Assim, a orquestra, fundada em 2004, não tardou a ganhar o merecido reconhecimento. Após nove temporadas em que se apresentou pelo Brasil, encantou o público americano com cinco atuações de gala sendo 02 no Carnegie Hall em 2007 e 2008 e 03 no Lincoln Center em 2009, 2010 e 2011 – NY.

Frejat

Um dos fundadores do Barão Vermelho junto com Maurício Barros e Guto Goffi. Mais tarde ingressariam Dé e Cazuza. A princípio, o Barão Vermelho se limitava a tocar músicas conhecidas de outras bandas. Foi aos poucos que Frejat e Cazuza começaram a compor suas próprias canções e montar um repertório próprio. O primeiro LP, intitulado “Barão Vermelho”, não foi sucesso de vendas. Contudo, a banda continuou produzindo e a partir do álbum “Maior Abandonado” a banda ganhou projeção ao emplacar “Bete Balanço”, tema de filme homônimo.

Em 1985, o Barão Vermelho se apresenta no Rock In Rio, mesmo ano em que Cazuza deixava a banda para dedicar-se a carreira solo. Frejat assume os vocais e a parceria com Cazuza se mantém.

Em 30 anos de carreira e treze álbuns lançados, são músicas de grande sucesso: “Todo Amor Que Houver Nessa Vida”, “Pro Dia Nascer Feliz”, “Maior Abandonado”, “Bete Balanço”, “Eu Queria Ter Uma Bomba”, “Pedra, Flor e Espinho”, “O Poeta Está Vivo”, “Pense e Dance” e “Por você”.

Em 2001, lançou seu primeiro álbum solo Amor pra Recomeçar. Obteve sucesso com a faixa-título, e também com “Homem não Chora”, “Segredos” e “Quando o Amor Era Medo”.

Crédito: Fernando Mucci

LEAVE A REPLY

Please enter your comment!
Please enter your name here